MENU
  • Leonardo Araújo Redator D-Logic

O AUMENTO NO VALOR DAS CASAS EM PORTUGAL


O aumento no valor das casas em Portugal é algo que está a preocupar a população de uma forma geral. Existe algum risco de uma nova crise no imobiliário?

A VALORIZAÇÃO DO PAÍS

O aumento no valor das casas em Portugal não é um fenómeno recente e muito menos desconhecido dos habitantes portugueses. Nesse sentido, os preços dos imóveis estão numa ascendente forte há pelo menos uma década.

Se fizermos uma análise em todo o país do valor médio do m² nos últimos 5 anos, verifica-se que o preço dos imóveis duplicou. Em alguns centros urbanos como Lisboa e o Porto, o aumento foi ainda maior.

Casas mais caras

Casas mais caras

Esta valorização teve como principal componente o turismo, pois Portugal tornou-se um dos grandes destinos turísticos na Europa. Além disso, apesar do aumento no valor dos imóveis, os preços dos empreendimentos aqui ainda são mais baratos do que em alguns países europeus. Este facto atrai os investidores estrangeiros, que vêm aqui uma grande oportunidade de negócios.

 

BOLHA IMOBILIÁRIA

A bolha imobiliária é um fenômeno que acontece frequentemente em muitos países no mundo. Isto ocorre quando, por alguns motivos, há um grande aumento no valor dos imóveis, o que acaba por inflacionar o mercado.

Dessa forma, o problema é a facilidade para obtenção do crédito habitacional e a inflação do mercado imobiliário. Estes acontecimentos fazem com que os preços dos imóveis se tornem insustentáveis o que diminui a procura e leva todo o sistema imobiliário ao colapso.

Bolha imobiliária

Bolha imobiliária

Um bom exemplo de bolha imobiliária, foi o que aconteceu nos Estados Unidos em 2008. Naquela altura, a facilidade do crédito imobiliário fez com que os bancos perdessem o controlo e emprestassem mais dinheiro do que podiam. Com o tempo, a inadimplência e uma queda brusca nas vendas dos imóveis, levou a economia americana a uma das maiores crises da sua história, o que afetou também a economia mundial.

 

O CONSUMIDOR PORTUGUÊS

Apesar do mercado imobiliário português se ter mostrado muito resiliente durante a pandemia, os valores praticados atualmente estão a se tornar muito caros para os habitantes do país.

Mercado interno

Mercado interno

Enquanto o preço dos imóveis cresceu mais de 100% nos últimos 10 anos, o salário mínimo nacional não chegou a 20% de aumento no mesmo período. Dessa maneira, este facto faz com que o comprador nacional procure por imóveis cada vez mais distantes dos centros das cidades, para conseguir escapar dos preços altos.

Dessa forma, o problema é que zonas antes não tão valorizadas, também passaram a ter um aumento nos preços dos imóveis, o que faz com quem as pessoas afastarem-se ainda mais dos grandes centros, para encontrar imóveis confortáveis e por um preço mais baixo.

 

RISCOS DO MERCADO

Contudo, apesar de boa parte do mercado imobiliário nacional ser mantida com investimento estrangeiro, o risco de queda neste mesmo mercado é algo que deve ser sempre levado em conta e pode estar cada vez mais próximo de acontecer. Assim, basta o nível de investimentos cair, ou o mercado interno perder a capacidade de investir nos imóveis, para que uma nova crise do imobiliário se instale no país.

Risco de queda

Risco de queda

Apesar disso, o governo está atento e tenta regular o mercado através do crédito habitação. Contudo, é preciso tomar outras medidas para que o consumo interno seja viável e sustente o mercado, diminuindo a dependência do capital estrangeiro.

Em síntese, o mercado imobiliário português está relativamente seguro, por enquanto!

  • Leonardo Araújo Redator D-Logic
Open chat